Os segredos das plantas galegas de Nordés

Sabias que o gin galego Nordés é produzido com 11 plantas naturais? E que 6 delas são galegas? No processo de destilação, os aromas destas plantas naturais são desdobrados e parte do seu caráter, sabor e aromas transportam-nos para a frescura e a simplicidade da sua terra. Todas e cada uma delas são maceradas em separado antes de destilar com uma duração diferente, durante o tempo necessário para oferecer a intensidade que cada uma delas necessita. Um processo amodiño (lento e tranquilo), com uma elaboração artesanal onde cada elemento é tratado com cuidado para o melhor resultado final. Anota algumas curiosidades sobre as plantas autóctones da Galiza de Nordés: 

Salva: é fresca e balsâmica, tem grandes benefícios para o organismo e é utilizada para cozinhar. O seu aroma possui tons amargos e subtilmente picantes.

Louro: é fresco, intenso e balsâmico. É uma planta silvestre muito comum na cozinha galega e, além do sabor que oferece, possui inúmeras qualidades para melhorar e acalmar a digestão. 

Lúcia-lima: proporciona um toque cítrico, frescura e delicadeza. Esta planta possui uma história fascinante, já que tem o nome de uma rainha e foi batizada assim em homenagem a María Luisa de Parma. 

Eucalipto: é puro bálsamo, uma árvore de espécie invasora com uma fragrância muito intensa. Além disso, é muito utilizado como tratamento terapêutico para dores musculares, nas articulações ou para combater infeções respiratórias.

Hortelã-pimenta: oferece um toque balsâmico e fresco muito especial, por isso é muito comum nos rebuçados. Cresce mais facilmente em solos húmidos, como os da Galiza, e nasceu como um híbrido nos jardins de Inglaterra. 

Salicórnia: graças a ela, sentimos a brisa marinha do Atlântico num gin tónico preparado de Nordés. Cresce nas salinas, nas praias e nos manguezais, e também é conhecida como espargo do mar. É muito utilizada na cozinha e, quando ingerida, sente-se um intenso sabor a sal.